• Visitor center for a theme park

  • 1424-FAL-CBP.PT-2015
  • by Fala

Um edíficio que uma criança podia ter imaginado

Uma casa, um centro de visitantes para um parque temático e uma referência visual curiosa.

O jogo de escalas e desproporções da proposta, aliado à materialidade do telhado, da estrutura em madeira e dos azulejos coloridos, define uma identidade infantil enraizada na realidade do parque. A nova silhueta, como se de um desenho a lápis de cera se tratasse, tem todos os elementos de uma casa e o descomprometimento de uma criança.

O novo edifício de recepção do Portugal dos Pequenitos é um ícone que de um modo muito peculiar faz sentido e fica na memória.
Brincando com as características que tornam o parque único, é um cartão de visita singular.

A geometria gerada pela intercepção dos volumes da cobertura e a conjugação de materiais torna os espaços interiores em lugares especiais: são diferentes do normal, ficam na memória. No exterior, a conjugação de cores e formas garante um carácter ingénuo e simultaneamente atrevido ao novo edifício de recepção do Portugal dos Pequenitos.

É um objectivo claro da proposta uma imagem e experiência espacial fortes. O novo edifício tem de conseguir cativar diferentes públicos de diferentes idades, e tem de ser intuitivo.

Deve conseguir um sentimento de protecção enquanto cativa quem o visita e proporcionar um momento de espanto a quem entra no ‘Portugal dos Pequenitos’ pela primeira vez com os colegas de escola ou passados muitos anos na companhia dos filhos e netos.

Um edifício incomum

A expressão plástica e volumétrica da proposta pretende, com a ingenuidade de uma criança, cativar o interesse de todos os visitantes. Ao chegar ao parque, pais e filhos são recebidos por um perfil icónico com uma escala invulgar onde pequenos elementos, de dimensões aparentemente desajustadas, pontuam o grande telhado.

A escolha de cores e materiais remete para um imaginário doméstico e acolhedor dos desenhos infantis e, como uma cereja no topo de um bolo, um grande balão encarnado anuncia o parque no horizonte, trazendo dinâmica e movimento.

O jogo de escala que distingue o Portugal dos Pequenitos – e o torna único em todo o mundo – é transportado para o seu edifício de recepção, cativando a imaginação de todos os que ali começam a sua aventura no parque.

O edifício é um exercício de imaginação, tanto para crianças como para adultos.

Estratégia urbana : Ligar o parque à cidade

O novo edifício de recepção do Portugal dos Pequenitos pontua a entrada do recinto com uma expressão alegre. É uma referência visual e, ao salientar-se do perímetro murado, cria uma ligação à cidade, indo ao encontro dos visitantes no exterior.

O espaço público adjacente ao parque é tratado como uma praça, organizando o estacionamento, distribuição e recepção de convidados. A proposta de paisagismo qualifica esta zona com espaços de sombra e o necessário mobiliário urbano, possibilitando que este seja mais do que um lugar de passagem. O novo pavimento cria uma superfície uniforme, enquadrando a paragem do eléctrico.

A cobertura define um espaço exterior protegido no seu perímetro que, nos dias de chuva ou de maior calor, abriga os visitantes na zona de entrada e na esplanada no lado do parque, evitando a necessidade de elementos móveis e/ou temporários.

credits

architect: Fala  |  team: Filipe Magalhães, Ana Luisa Soares, Ahmed Belkhodja, Clara Pailler, Camelia Petre, Christina Kavoura  |  client: Unknown  |  status: Competition (2015)  |  clasification: 2 rang  |  location: Coimbra, Portugal (40.2010563, -8.4350052)  |  climate: Mediterranean, Temperate  |  material: wood  |  environment: Park  |  visualizer: Studio  |  scale: medium  |  types: cultural, interpretation center  |  views: 2.326